o
o

DICIONÁRIO
o
o

o

o 0

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Z



C


cabo - Setor saliente do continente que se estende para dentro do mar ou lago, sendo menos extenso do que uma península e maior do que um pontão. Veja também promontório.

cadeia de barreiras - Sucessão de ilhas barreiras, esporões barreiras e praias-barreiras, que se estende por considerável distância, talvez por algumas centenas de quilômetros ao longo da costa.

cadeia externa - Elevação submersa ampla, em geral com mais de 160 km de largura e 180 a 1800 metros de altura, estendendo-se paralelamente à margem continental, podendo incorporar uma bacia marginal.

Cadeia Meso-atlântica - Cadeia de montanhas vulcânicas que se estende na direção norte-sul ao longo da porção central do Oceano Atlântico, elevando-se a partir do fundo até cerca de 1000 metros abaixo da superfície do mar.

Cadeia Meso-índica - Cadeia de montanhas vulcânicas que se estende do Oceano Pacífico Sul através do Oceano Índico interceptando o Golfo de Aden entre a Arábia Saudita e a África.

cadeia mesoceânica - Cadeia montanhosa mediana de origem vulcânica e sismicamente ativa, que se estende do norte ao sul dos oceanos Atlântico Sul, Índico e Pacífico Sul. De acordo com a teoria da tectônica de placas, as cadeias mesoceânicas representam locais de adição de novos materiais crustais, isto é, constituem margens construtivas. Sinônimo: elevação mesoceânica.

cadeia de montes marinhos - Montes submarinos alinhados cujas bases estão separadas por um fundo oceânico elevado relativamente plano.

cadeia mesoceânica - notável feição de relevo positivo que, em conjunto, compõe um sistema de cordilheira predominantemente submarino, contínuo,sísmico e vulcânico. Trata-se de uma ampla intumescência, na maioria das vezes com um vale central, em rifte, bastante
acidentado e ativo, constituindo-se de acordo com a Teoria da Tectônica de Placas, em sítio-fonte de adição de novo material
crustal, a partir da ascensão convectiva da astenosfera. Suas dimensões médias são: largura - 1.500 km; comprimento total do
sistema - 84.000 km; elevação - 1 a 3 km. Sin.: dorsal mesoceânica. (1). I: Mid-oceanic Ridge.

cais - estrutura costeira preenchida, de construção artificial, paralela à praia de um porto ou às margens de um rio ou canal, usada para amarração ou para carga e descarga de mercadorias ou passageiros de barcos. Na porção posterior do cais podem existir depósitos, áreas industriais, estradas de rodagem ou de ferro.

cal - produto da calcinação do calcário a temperaturas superiores a 725ºC.

Calabriana - Transgressão do Pleistoceno Inferior que ocorreu na região sul do Mar Mediterrâneo, afetando vários países da Europa.

calcarenito - Calcário clástico de granulação predominantemente arenosa (0,062 a 2 mm), composto por partículas calcíticas ou aragoníticas. Este termo, ao lado de calcirrudito e calcilutito, que se referem respectivamente a calcários de granulação grossa (mais de 2 mm) e fina (menos de 0,062 mm), é muito útil nas descrições de campo. Do mesmo modo que os arenitos terrígenos comuns, os calcarenitos podem exibir abundantes estruturas hidrodinâmicas, tais como, estratificações cruzadas e marcas onduladas de corrente. Exemplo: calcário permiano da Formação Estrada Nova em Taguaí, SP (Suguio et al., 1974).

calcário - rocha sedimentar de origem química, orgânica ou clástica, constituída predominantemente de carbonato de cálcio,
principalmente calcita.

calcário algálico - Veja calcário bioconstruído.

calcário bioconstruído - Calcário composto predominantemente de materiais resultantes de atividades vitais de organismos coloniais, tais como algas, corais, briozoários e estromatoporóides. Exemplo: calcário algálico, que é composto predominantemente de restos de algas calcárias e/ou biolititos algálicos ou ainda depósitos algálicos que cimentam fragmentos carbonáticos de várias origens.

calcilutito - Calcário composto de lama calcária litificada.

calcirrudito- Calcário composto predominantemente por fragmentos de carbonato de cálcio (CaCO3) maiores do que a granulação de areia, isto é, conglomerado carbonático.

calcita - Mineral com a mesma composição da aragonita (CaCO3), porém cristalizado no sistema trigonal, que pode apresentar-se como componente primário ou secundário (diagenético). Organismos formadores de rochas calcárias podem conter ao mesmo tempo, calcita e aragonita. É um mineral mais estável do que a aragonita e portanto, pode resultar de sua recristalização.

calcrete - Materiais superficiais, tais como os cascalhos ou areias cimentados por carbonato de cálcio (CaCO3), como resultado de concentração por evaporação em clima seco, a partir das águas intersticiais próximas à superfície. Freqüentemente caracterizado por crostas, pisólitos, gradação inversa, etc. e encontrado tanto em ambientes continentais, como em sabkhas costeiros. Muitas vezes chamado também de caliche, embora calcrete seja mais adequado quando a composição for carbonática.

calha de onda - Porção mais baixa de uma onda entre cristas sucessivas; designação também usada para referir-se à parte da onda situada abaixo do nível de águas tranqüilas.

calhau - Veja escala granulométrica.

caliche - Veja calcrete.

calota glacial - Grande massa de geleira com até 2 a 3 km de espessura, ligada à glaciação continental ou de latitude, formada em regiões polares. No Pleistoceno existiram calotas glaciais importantes tais como Laurentidiana (América do Norte), Fenoscandiana (Norte da Europa) e Alpina (região dos Alpes). Atualmente calotas glaciais recobrem a Antártida e a Groelândia.

calota insular - Calota de gelo cobrindo parte importante de uma ilha. Designação usada para distingui-la da calota continental e geleira de vale.

calcedônia - mineral constituído por quartzo criptocristalino fibroso

calco-alcalina - rocha magmática que contém feldspatos alcalicálcicos. O coeficiente molecular em álcali é menor que o de Al2O3. Tem ainda considerável teor em CaO.

caldeira - depressão em forma de bacia aproximadamente circular. A maior parte das caldeiras vulcânicas são produzidas pelo colapso do
teto de uma câmara magmática devido à remoção do magma por erupções ou condensação subterrânea. Algumas caldeiras
podem ser formadas pela remoção explosiva da parte superior de um vulcão.

camada - termo que designa um membro unitário de uma rocha sedimentar estratificada. Cada camada ou estrato origina-se de uma
modificação por vezes muito acentuada na qualidade do material depositado ou nas condições de sedimentação. Sin.: estrato.
camada competente designação para as camadas que são capazes não só de soerguer o próprio peso, como o de toda rocha sobrejacente. Os requisitos de uma camada competente são: a) resistência ao cisalhamento; b) capacidade de se refazer de fraturas; c) rigidez ou inflexibilidade.

camadas basais - Veja delta lacustre.

camadas frontais - Veja delta lacustre.

camada mista - Camada superficial da água oceânica, acima da termoclima, homogeneizada pela ação do vento, equivalente ao epilímnio dos lagos.

campo petrolífero submarino - Os maiores campos petrolíferos mundiais, de idades variando entre o Mesozóico Superior e Cenozóico (Terciário), estendem-se das áreas continentais para as plataformas continentais adjacentes. Exemplos: região do Golfo do México, Califórnia, Venezuela, Mar do Norte, Golfo Pérsico, etc. No Brasil o exemplo mais importante de campos petrolíferos submarinos situa-se na Bacia de Campos (RJ), além das bacias Sergipe-Alagoas e Potiguar (RN).

canais distributários - Padrão de canis que são comuns nos cursos inferiores de canis fluviais, onde ocorrem ramificações em vários canais que penetram no mar ou em outros corpos de águas tranqüilas em diferentes posições. Os canais distributários são encontrados na maioria dos deltas.

canal - (1) Curso de água natural ou artificial que serve de interligação entre corpos de água maiores. (2) Porção de um corpo de água (baia, estuário, etc) com profundidade suficiente para navegação. (3) Grande estreito, como o Canal da Mancha.

canal de maré - canal natural formado sobre as planícies de marpe e mantido pelo fluxo das correntes de maré.

canal de retorno - Canal escavado pelo fluxo das correntes de retorno, rumo ao mar aberto, normalmente seccionando as barras longitudinais.

Cananéia (Transgressão) - Transgressão do Pleistoceno Superior que ocorreu há aproximadamente 123.000 anos A.P., afetando grande parte da costa brasileira. Testemunhos desta Transgressão, representados por terraços de construção marinha, estão amplamente distribuídos ao longo da costa do Brasil e constituem a Formação Cananéia, definida por Suguio e Petri (1973) na região de Cananéia (SP). Em geral este terraço situa-se cerca de 8 a 10 metros acima do nível marinho atual.

canhão de ar - Fonte de energia muito difundida em Geologia Marinha que injeta uma bolha de ar altamente comprimida liberada de forma explosiva para produzir uma onda de choque inicial, sendo utilizada em levantamentos sísmicos submarinos. O seu espectro de freqüência depende da quantidade e pressão do ar na bolha e da profundidade da água. Conjuntos de canhões de diferentes tamanhos podem ser usados para se obter um espectro de freqüência. Utilizam-se pressões da ordem de 150 kg/cm², câmaras de 0,5 a 30 l, produzindo ondas sonoras de cerca de 130 db.

canhão submarino - Vales submersos que dissecam áreas de plataforma e/ou talude continentais. Muitas dessas feições foram originadas durante o Pleistoceno, como vales fluviais, tendo sido submersos no decorrer da Transgressão Holocênica.

canyon - vale longo, de bordas abruptas, que ocorre em regiões de platôs, de montanhas ou encravado na borda de plataformas
submarinas, em geral com um curso d'água em seu interior (canyon subaéreo) ou apenas servindo de duto para fluxos
sedimentares subaquosos (canyon submarino) (1). Sin.: Canhão (2).

carbono 14 - Isótopo radioativo do carbono com peso atômico 14, produzido pelo bombardeamento de átomos de nitrogênio 14, por raios cósmicos. Hoje em dia é intensamente utilizado na determinação da idade de substâncias carbonosas ou carbonáticas de idade inferior a cerca de 30.000 anos. A meia vida deste elemento radioativo é de 5700 ± 30 anos.

carbonato - composto de carbono e oxigênio; um exemplo é a calcita, um mineral constituído por carbonato de cálcio.

carstificação - processo do meio físico que consiste na dissolução de rochas pelas águas subterrâneas e superficiais, com formação de rios subterrâneos (sumidouros e ressurgências), cavernas, dolinas, paredões, torres ou pontes de pedra, entre outros. A
carstificação é o processo mais comum de dissolução de rochas calcárias ou carbonáticas (calcário, dolomito, mármore),
evaporitos (halita, gipsita, anidrita) e, menos comumente, rochas silicáticas (granito, quartzito).

carvão - substância natural compacta combustível, de cor entre castanha e negra, formada pela decomposição parcial de matéria
vegetal, livre do contato com o ar e, em muitos casos, sob a influência de aumento de pressão e de temperatura.

carbonatito - rocha magmática constituída essencialmente de carbonatos como calcita e dolomita.

carga - Quantidade de sedimentos transportados por uma corrente aquosa. Compreende as cargas de suspensão compostas de partículas pequenas, em geral síltico-argilosas, e de fundo ou de tração constituída por partículas maiores.

carga de fundo - Sedimento de granulação maior do que as cargas de suspensão ou saltação, transportado pela água corrente por mecanismos de arrastamento e de rolamento. Sinônimo: carga de tração.

cascalho - Depósitos de fragmentos arredondados de minerais ou rochas com diâmetros superiores a 2 mm. De acordo com os valores crescentes dos diâmetros podem ser reconhecidos os grânulos (2 a 4 mm), seixos (4 a 64 mm), calhaus (64 a 256 mm) e matacões (maiores que 256 mm).

catazona - zona mais profunda do metamorfismo, caracterizada pelas rochas gnáissicas e pela presença de minerais típicos. Predominam
na catazona pressão hidrostática alta e temperatura elevada (2).

catena, pedológico - sucessão de tipos de solo, desde o espigão até a baixada, variando de acordo com a posição topográfica.

Cenozóico - era do tempo geológico desde o final da Era Mesozóica (65 milhões de anos atrás) até o presente. Compreende os Períodos e épocas em milhões de anos:
Quaternário - Época
Pleistoceno - 1,6 milhões de anos até o presente
Terciário Épocas:
Plioceno - 5,2 a 1,6
Mioceno - 23,3 a 5,2
Oligoceno - 35,4 a 23,3
Eoceno - 56,5 a 35,4
Paleoceno - 65 a 56,5

chapéu de ferro - expressão mineira da zona de enriquecimento secundário de limonita e hematita, originado por decomposição atmosférica de vieiros metalíferos ricos em ferro, recobrindo um afloramento de minério sulfetado e denunciando a existência, em
profundidade, de um veio ou outro tipo de depósito.

charneira - linha de articulação estrutural entre regiões de subsidência ou soerguimento diferenciados, que se configura sob forma de
flexura ou de falhamento. (1). I: Hinge Line.

chert - rocha sedimentar composta de sílica criptocristalina granular.

chorume - resíduo líquido proveniente de resíduos sólidos (lixo), particularmente quando dispostos no solo, como, por exemplo nos aterros
sanitários. Resulta principalmente da água de chuva que infiltra, e da decomposição biológica da parte orgânica dos resíduos
sólidos. É altamente poluidor.

ciclo eustático - Intervalo de tempo durante o qual ocorreu uma subida e um abaixamento do nível marinho em escala mundial.

ciclo hidrológico - O ciclo hidrológico é representado pelos mecanismos de transferência contínua da água existente na Terra, dos oceanos e dos próprios continentes para a atmosfera em forma de vapor e, em seguida, precipitando sobre os continentes como chuva ou neve e finalmente retornando aos oceanos através dos rios. Este ciclo envolve vários reservatórios naturais, entre os quais as partículas aquosas se movem com o passar do tempo. Destes o maior reservatório são os oceanos que contém 97% de todas as águas meteóricas, sendo seguidas pelas geleiras com 2,25%. As águas subterrâneas representam uma parcela relativamente pequena (0,75%), porém ainda bem maiores do que os rios e lagos, que representam apenas 0,01%.

ciclo lagunar - Seqüência de eventos e os intervalos de tempo envolvidos no assoreamento de uma laguna por sedimentos, eventualmente seguidos por uma fase erosiva por ação de ondas e subsequente preenchimento.

ciclo de erosão - sucessão dos estágios através dos quais passa uma região, desde a sua sobrelevação inicial até o estágio final da sua destruição - peneplanação.

ciclo de sedimentação - repetição freqüente de seqüências sedimentares, formando sedimentos cíclicos. Corresponde também a uma seqüência de eventos que engloba a destruição de rochas - intemperismo, o transporte do material resultante, sua deposição e litificação
dando como origem uma rocha sedimentar.

ciclo de Wilson - recorrência sucessiva de abertura e fechamento de uma bacia oceânica pelos mecanismos postulados pela Tectônica de Placas. Denominado em referência ao geofísico canadense J. Tuzo Wilson. (1). I: Wilson Cycle.

ciclo geotectônico - este conceito vincula-se, hoje em dia, àquele do ciclo de Wilson e refere-se aos seguintes estágios: pré-orogênico (pré-rifte, rifte, proto-oceano e oceano), precoce-orogênico, sinorogênico, tardi-orogênico e terminal-orogênico. Cada um deles possui
magmatismo e sedimentação peculiares e diagnósticos. Uso antigo: seqüência de processos abrangendo as fases geossinclinal,
orogênica e cratônica, podendo repetir-se pelo tempo geológico. (1). I: Geotectonic Cycle.

ciclo orogênico - intervalo de tempo durante o qual um segmento crustal evolui até as fases terminais de um orógeno. O conceito tornou-se
obsoleto com o reconhecimento da estrutura em placas da crosta terrestre. (1). I: Orogenic Cycle.

cimentação - processo diagenético que consiste na deposição de cimento nos interstícios dos sedimentos incoerentes, do que resulta a
consolidação destes (diagênese).

cimento - material que une os grãos de uma rocha sedimentar consolidada. Forma-se por precipitação química de soluções intersticiais.
Entre as substâncias cimentantes mais freqüentes estão a sílica, o carbonato de cálcio e os óxidos de ferro.

cinturão de dobramentos - região linear ou arqueada sujeita a dobramento ou outra deformação durante um ou mais ciclos orogenéticos. Constituem-se em cinturões móveis à época de sua formação, assumindo o caráter geomórfico montanhoso em decorrência, também, de
processos pós-orogenéticos (por exemplo: isostasia). Conhecido também como cinturão orogenético, orógeno, cinturão móvel
ou faixa móvel. (1). I: Fold Belt.

cinturão de rochas verdes - áreas alongadas e estreitas dentro de escudos Pré-Cambrianos caracterizadas por alojarem rochas de baixo grau de metamorfismo (fácies xisto verde), contrastando com os terrenos adjacentes; associam-se-lhes diápiros graníticos e intensa
mineralização. Embora definidos em áreas arqueanas, equivalentes são reconhecidos até o Mesozóico. (1). I: Greenstone Belt.

cinza - matéria fina produzida por uma erupção piroclástica. Uma partícula de cinza tem por definição um diâmetro inferior a 2
milímetros.
cinzas vulcânicas - material ejetado dos vulcões, com 4 a 32 milímetros de diâmetro.

círculo de Mohr - representação gráfica de estado de esforço em um ponto particular de um corpo rochoso, em um determinado momento. As coordenadas de cada ponto do círculo correspondem ao esforço cisalhante e ao esforço normal sobre um plano (potencialmente
o de ruptura). O envelope de Mohr é a tangente a uma série de círculos de Mohr e constitui-se no lugar geométrico dos pontos
cujas coordenadas representam os esforços no momento de ruptura. (1). I: Mohr Circle, Envelope.

cisalhamento - deformação resultante de esforços que fazem ou tendem a fazer com que as partes contíguas de um corpo deslizem uma em relação à outra, em direção paralela ao plano de contato entre as mesmas. (1). I: Shear, Shearing.

cisalhamento de Riedel - sob condições de cisalhamento simples, originam-se dois conjuntos de planos cisalhantes, orientados a aproximadamente 15o e 75o do binário de cisalhamento principal. Os planos que se orientam a 15o são ditos R (Riedel), e os orientados a 75o são chamados R (anti-Riedel), os primeiros correspondendo às falhas transcorrentes sintéticas e os segundos, às antitéticas, dentro
do conjunto da zona transcorrente. (1). I: R Shear, R' Shear.

cisalhamento puro (irrotacional) - deformação homogênea pela qual linhas paralelas aos eixos principais do elipsóide de deformação mantêm a mesma orientação antes e depois do evento deformativo. (1). I: Pure Shear.

cisalhamento simples (rotacional) - deformação homogênea a volume constante, pela qual um conjunto de planos paralelos continuam paralelos no estado deformado, e ocupando a mesma orientação espacial absoluta que ocupava no estado não deformado. (1). I: Simple Shear.

clástico - sedimento formado de rochas pré-existentes.

clasto - fragmento de rocha que foi transportado por processos vulcânicos ou sedimentares.

clivagem - propriedade dos minerais de dividirem-se segundo planos paralelos bem definidos. Decorre da estrutura íntima de uma
substância cristalina.

clorita - designação genérica para os membros de um grupo de silicatos ricos em ferro, sem cálcio e álcalis. Ocorre em rochas de baixo
grau metamórfico ou em rochas ígneas, sendo produto de alteração de minerais ferro-magnesianos.

cloritização - formação de cloritas a partir dos minerais ferromagnesianos de uma rocha. Este fenômeno pode dar-se por alteração
hidrotermal ou por meteorização.

cocolito - Frústulas discoidais, estreladas ou placóides de paredes delgadas e freqüentemente perfuradas, produzidas por algas planctônicas calcárias, encontradas em sedimentos marinhos. São bastante abundantes em vasas calcárias modernas, tendo sido registradas em depósitos sedimentares do mundo inteiro desde o Cambriano até o Holoceno.

coesão - Força que mantém juntas as partículas, a qual é apreciável nas argilas e virtualmente inexistentes nas areias e muitos siltes.

colofana - Fosfato de cálcio amorfo, comumente encontrado na forma de nódulos, camadas ou substituindo e preenchendo fósseis, como carapaças de foraminíferos. Ocorrem também junto com ossos fósseis e sobre recifes de corais e recobertos por guano. É uma substância incolor a branca com dureza entre 2 a 5 e peso específico 2,6 a 2,9.

compactação - Decréscimo volumétrico dos sedimentos em conseqüência do esforço compressivo, usualmente exercido por superposição de sedimentos cada vez mais jovens em uma bacia sedimentar. Porém, efeito semelhante pode ser produzido por ressecação e outras causas.

compactação diferencial - Mudanças relativas nas espessuras entre lama e areia (ou calcário) após soterramento e compactação por redução de porosidade. O efeito da compactação é muito maior na lama do que em outros materiais.

compensação glácio-isostática - Reajustamento isostático em função das modificações de carga (água e gelo) sobre a superfície terrestre a partir do Pleistoceno até hoje. O tempo de retorno às condições originais por compensação isostática é da ordem de 4.000 anos, quando a viscosidade for de 4 x 10²² poises. Áreas que estiveram recobertas por geleiras durante a última glaciação (cerca de 18.000 anos A.P.), como a Escandinávia, Alpes ou Canadá estão em processo de compensação glácio-isostática. Desta maneira, na Escandinávia ocorreu levantamento superior a 500 metros após a última glaciação por este mecanismo.

competência - Refere-se ao tamanho máximo de partículas de um determinado peso específico, que a uma dada velocidade, a água corrente pode transportar. Assim é que um rio pequeno e rápido pode transportar partículas relativamente grandes mas a quantidade de material transportado será pequena. Por outro lado, um rio grande e lento carreará volume considerável de pequenas partículas em suspensão e, desta maneira, terá pequena competência e grande capacidade.

concha - Exosqueleto em geral composto por carbonato de cálcio (CaCO3), de alguns invertebrados, tais como os moluscos. Existem moluscos com conchas que vivem em água salgada, salobra ou doce, além de terrestres. Por outro lado, algumas conchas podem ser parcial ou totalmente compostas por material quitinoso ou silicoso.

concreção - Concentração nodular, através de acreção concêntrica, de certos componentes minerais autigênicos em rochas sedimentares e tufos vulcânicos, desenvolvida normalmente em torno de um núcleo que funciona como um germe de cristalização. A concreção é normalmente mais dura do que a rocha hospedeira e apresenta composições variáveis (calcária, siderítica, silicosa, ferruginosa, etc.).

conglomerado - Rocha clástica formada predominantemente por fragmentos arredondados correspondentes a seixos, contendo comumente matrizes arenosa e/ou pelítica e cimento químico variável. São reconhecidos casos de conglomerados oligomíticos (fragmentos de poucas variedades petrográficas) e polimíticos ou petromíticos (fragmentos de muitas variedades petrográficas).

conglomerado carbonático - Veja calcirrudito.

continente - Grande massa terrestre que se ergue mais ou menos abruptamente do assoalho submarino profundo. Hoje em dia, os continentes perfazem cerca de 1/3 da superfície terrestre.

coprólito - Excrementos fossilizados de peixes, répteis, pássaros e mamíferos, que se apresentam geralmente com composição fosfática. O termo é originário do grego kopros (fezes) e lithos (rocha). Os coprólitos podem fornecer informações sobre os hábitos alimentares de seres extintos. Veja também pelota fecal.

coquina - Sedimento carbonático muito poroso, composto predominantemente por fragmentos de conchas de moluscos, algas corais e outros restos orgânicos, em geral cimentados por carbonatos de cálcio. Quando os fragmentos são pequenos (frações de milímetros), pode-se falar em microcoquina. A coquina litificada é chamada de coquinito. Quando ela é composta principalmente de fragmentos de crinóides, por exemplo, tem-se a criquina que, ao ser litificada, resultaria no criquinito.

coquinito - Veja coquina.

coral - Celenterados marinhos sésseis, em geral coloniais (indivíduos unidos), que secretam um exosqueleto de carbonato de cálcio (CaCO3). Hoje em dia, os corais são os organismos hermatípicosi (formadores de recifes) mais comuns.

corrente - (1) Curso de água que flui ao longo de um leito sobre os continentes. (2) Corrente marinha formada por ação de vento, diferenças de densidade, etc. Exemplo: Corrente do Golfo.

corrente de turbidez - Corrente de alta turbulência e de densidade relativamente alta, contendo materiais bastante grossos 9areia grossa e sexos), que se move através do fundo de um corpo aquoso estacionário (oceano ou lago). Mais de 95% dos exemplos de depósitos de correntes de turbidez conhecidos no mundo são marinhos. A corrente de turbidez pode ser originada em declives bastante suaves de apenas alguns graus de inclinação. Dão origem aos depósitos conhecidos por turbiditos, que caracteristicamente integram seqüências de fácies de flysch de calhas geossinclinais. Sinônimo: corrente de densidade.

correntômetro - Instrumento que serve para medir o sentido e a velocidade das correntes marinhas. Quando este equipamento é munido de um registrador gráfico tem-se o correntógrafo.

corrida de lama - Fluxo de material detrítico heterogêneo (areia, silte, argila e até seixos), declive abaixo e muitas vezes seguindo um antigo canal fluvial, graças à lubrificação por grande volume de água que satura o material. Fenômeno espasmódico relativamente freqüente em deposição de leques aluviais.

costa - Faixa de terra de largura variável, que se estende da linha de praia para o interior do continente até as primeiras mudanças significativas nas feições fisiográficas. Esta faixa varia normalmente de alguns quilômetros a algumas dezenas de quilômetros. Conforme a configuração geral pode-se falar em costa rasa ou costão.

cobertura inconsolidada - material inconsolidado.

colmatação - processo pelo qual ocorre o preenchimento dos vazios de uma rocha, maciço, ou de descontinuidades, pela deposição de
materiais transportados, ou pela precipitação de substâncias em solução.

coluvião - colúvio.

colúvio - solo ou fragmentos rochosos transportados ao longo das encostas de morros, devido à ação combinada da gravidade e da água.
Possui características diferentes das rochas subjacentes. Grandes massas de materiais formados por coluviação diferencial
podem receber o nome de coluviões.

complexo cristalino - conjunto de rochas metamórficas e ígneas subjacentes a rochas estratificadas em uma região qualquer. Em geral são rochas intensamente metamorfizadas e deformadas e de idade desconhecida. Expressão freqüentemente usada como sinônimo de
Complexo Brasileiro, Embasamento Cristalino ou, Complexo Gnáissico-Migmatítico.

composição granulométrica - exprime em porcentagem do peso total, a proporção das partículas de diversas dimensões de um solo ou de uma rocha.

compostagem - método de tratamento dos resíduos sólidos (lixo), pela fermentação da matéria orgânica contida nos mesmos, conseguindo-se a sua estabilização, sob a forma de um adubo denominado “composto”. Na compostagem normalmente sobra cerca de 50% de resíduos.

compressão - tipo de carga aplicada a um corpo, que provoca aproximação de suas partículas segundo a direção de atuação dessa carga.
compressibilidade do solo propriedade de um solo relativa à sua susceptibilidade de diminuir de volume sob o efeito da aplicação de uma carga, que pode ser externa ou interna.

concordância - relação entre duas camadas ou seqüência de camadas, geralmente paralelas entre si, indicando continuidade de deposição.

concreção - massas geralmente nodulares ou esféricas, de dimensões variáveis, desde poucos centímetros até metros, de composição
química e mineral diferente da rocha encaixante e comumente de estrutura concêntrica, indicando crescimento por deposição de
camadas sucessivas.

cone aluvial - depósito formado pela água corrente nas zonas de piemonte. São mais comuns nas regiões de relevo acentuado, no sopé das montanhas. Sin.: Cone de dejeção.

cone de depressão ou de influência - depressão cônica formada no nível freático em torno de um poço em bombeamento, cuja periferia delimita o movimento de água em direção ao poço.

cone de rebaixamento - depressão cônica formada no aqüífero, em torno de um poço em bombeamento, cuja periferia define a área de influência do poço.

conglomerado - rocha sedimentar clástica formada de fragmentos arredondados e de tamanho superior ao de um grão de areia (acima de 2 mm na classificação de Wentworth), unidos por um cimento. É o equivalente consolidado de cascalho.

conglomerado interformacional - conglomerado que ocorre dentro de uma formação, sendo a origem dos constituintes de fonte externa (2).

consistência - facilidade relativa com que um solo argiloso pode ser deformado; depende do teor de umidade, da granulometria, da forma e da superfície dos grãos assim como da composição química e mineralógica dos mesmos.

contaminação - introdução no meio ambiente de elementos em concentrações nocivas à saúde humana, tais como: organismos patogênicos, substâncias tóxicas ou radioativas.

contato concordante - termo usado para descrever corpos ígneos intrusivos onde os contatos se dispõem paralelamente ao acamamento (ou foliação) da rocha encaixante.

contato geológico - local ou superfície de separação de dois tipos de rochas diferentes. Termo usado para rochas sedimentares assim como para intrusões ígneas e suas rochas encaixantes. Superfície de separação entre um veio metalífero e a rocha encaixante.

controle estrutural - influência exercida sobre processos geológicos ou geomorfológicos por estruturas da rocha. Ex.: deposição de corpos
mineralizados, entalhamento do relevo.

corrasão - erosão mecânica (em oposição à erosão química , ou corrosão). O mesmo que abrasão.

correlação estratigráfica - conjunto de processos que possibilitam determinar a similaridade e equivalência em idade e posição estratigráfica de formações geológicas, ou outras unidades estratigráficas, situadas em áreas distintas.

corrente de turbidez - corrente de água contendo grande quantidade de material clástico em suspensão, que pode formar-se em declives submarinos, podendo tanto ter efeito erosivo como transportador devido à sua maior densidade e viscosidade.

corrida de massa - processo de escoamento de uma massa de solo ou de rocha, de modo rápido, onde a sua forma de deslocamento lembra a de um líquido viscoso, com deformações internas e inúmeros planos de cisalhamento. A massa é composta por uma matriz viscosa
de água e argila e material mais grosseiro - areia, seixos, matacões. Sin.: corrida de lama, corrida de terra, corrida de detritos.

corrosão - decomposição e destruição de rochas por ação química da água.

cota - valor que exprime metros unidade de comprimento a distância vertical de um ponto a uma superfície horizontal de referência.
Sin.: altura, diferença de nível.

cristal - corpo formado por um elemento ou composto químico sólido e limitado por superfícies planas, geralmente dispostas com
simetria, que denuncia uma estrutura interna regular e periódica.

compressão - estado de tensões que tende a reduzir as dimensões de um corpo. (1). I: Compression.

cone de cinzas - monte cônico formado pela acumulação de fragmentos piroclásticos que caem no solo em estado sólido.

cone de dispersão -  cone baixo, com encostas abruptas, constituido por de piroclastos fluidos que cobrem a superfície ao redor de um conduto vulcânico.

cratera - a) depressão formada pelo impacto de um meteorito. b) depressão à volta da abertura de um vulcão.

cráton - parte da crosta terrestre que atingiu estabilidade e foi pouco deformada por períodos prolongados. Em sua acepção mais
moderna, os crátons restringem-se às áreas continentalizadas e suas adjacências. Diz-se que um segmento crustal é
cratonizado quando anexado, principalmente por colisão, a núcleos estáveis mais antigos, o que ocorre com as partes mais
maduras dos cinturões orogênicos. Ao longo da história geológica da Terra, segundo muitos autores, houve um aumento
percentual das áreas cratônicas (crosta continental que dificilmente é consumida pela astenosfera) em relação às áreas
oceânicas (crosta oceânica). Um cráton pode ser composto de plataformas (zona recoberta por sedimentos mais novos) e de
escudo(s) (zona aflorante). (1). I: Craton.

cristalino - tipo de rocha composto por cristais ou fragmentos de cristais, tais como as rochas metamórficas que recristalizaram em
ambientes de alta temperatura ou pressão, ou rochas ígneas que se formaram durante o arrefecimento de matéria fundida.

crescimento secundário - Aumento do tamanho de fragmentos de minerais detríticos em continuidade óptica, levando à regeneração da forma primitiva. É um fenômeno relativamente comum em partículas clásticas, por exemplo, de quartzo, turmalina, etc.

crosta continental - Tipo de crosta que forma as áreas continentais da Terra, de composição essencialmente granítica, com espessura de 25 a 60 km e densidade de aproximadamente 2,7g/cm³.

crosta oceânica - Tipo de crosta subjacente às bacias oceânicas de composição essencialmente basáltica, em cuja composição predominam o silício e o magnésio. A crosta oceânica apresenta 5 a 10 km de espessura e a sua densidade é de aproximadamente 3,0 g/cm³.

crosta terrestre - camada mais externa da Terra sólida, situada acima da descontinuidade de Mohorovicic e constituída por rochas mais ricas em sílica do que as do manto, do qual, conseqüentemente, diferencia-se por densidade e velocidade sísmica. Subdivide-se
em crosta continental, com freqüente composição granodiorítica, e crosta oceânica, com composição basáltica. (1). I: Crust.

crosta laterítica - mesmo que laterita

cuesta - elevação assimétrica tendo um lado escarpado e o outro suave, formada pela erosão de camadas inclinadas.

curva batimétrica - Curva que resulta da união dos pontos com igual profundidade de um corpo de água. Comumente as profundidades são expressas em braças, abaixo do nível médio do mar.


A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Z


Copyright 2007  Portal Geotrack® - Todos os direitos reservados
Responsável: Geól. Rodrigo Dantas Pinheiro
rodrigodanttas@click21.com  
 

 

O que é Geologia? O que é Geologia? Comunidades Empregos Opinião Google Earth Downloads Eventos Links Vídeos Dicionário Onde estudar? Geoturismo Artigos Wallpapers Concursos Nossa Equipe Anunciantes Contatos