o
o

DICIONÁRIO
o
o

o

o 0

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Z



E


eclogito - rocha catametamórfica, granoblástica, composta essencialmente de granada - especialmente piropo e piroxênio - onfacita.

ecobatímetro - Veja ecossonda.

ecograma - Gráfico que registra a configuração do fundo oceânico, medindo-se continuamente as profundidades de água ao longo de um perfil com um ecobatímetro.

ecologia - estudo da interrelação entre os organismos vivos e seu ambiente.
ecossistema - ou sistema ecológico é qualquer unidade que inclua todos os organismos em uma determinada área, interagindo com o
ambiente físico, de tal forma que um afluxo de energia leve a uma estrutura trófica definida, diversidade biológica e reciclagem
de materiais - troca de materiais entre os componentes vivos. É a unidade básica da ecologia.

ecossonda - Instrumento que determina a profundidade da água pelo tempo requerido para que um sinal sonoro viaje até o fundo e retorne. Este equipamento permite executar levantamentos batimétricos. desde águas costeiras até mais de 10.000 m.

ectinito - termo genérico que abrange as rochas metamórficas granitizadas sem acesso ou introdução de materiais feldspáticos, em
oposição aos migmatitos, aos quais o material granítico foi introduzido durante o metamorfismo.

efeito Coriolis - Efeito produzido pela força de Coriolis, que faz com que partículas em movimento sobre a superfície da Terra apresentam uma tendência par serem desviados para a direita no Hemisfério Norte e para a esquerda no Hemisfério Sul. A magnitude deste efeito é proporcional à velocidade e a latitude das partículas em movimento.

efeito estufa - Fenômeno de aquecimento da superfície terrestre de grande comprimento de onda, que é absolvida e reemitida pelo gás carbônico e vapor de água na baixa atmosfera, eventualmente retornando à superfície. Embora ainda seja um assunto sujeito a controvérsias, alguns pesquisadores admitem que o efeito estufa poderia causar a fusão parcial das geleiras polares, ocasionando importante subida dos níveis oceânicos nos próximos decênios.

efluente - O termo efluente refere-se a águas fluviais ou de esgotos que são despejadas nas águas costeiras. Os esgotos podem ser domésticos ou industriais (química, mineração, etc.) e podem levar à poluição ambiental como acontece na região de Santos (SP).

efusão - derramamento de lava na superfície terrestre.

eixo de dobra - linha que separa a parte mais flexionada de uma dobra. Sin.: Charneira.

El Ninõ - Na costa ocidental da América do Sul encontra-se a Corrente de Humboldt, de águas frias. Às vezes esta corrente é invadida por águas quentes causando chuvas torrenciais e enchentes nas costas do Peru, que normalmente é uma das áreas mais secas do mundo. Este fenômeno, por ocorrer mais comumente na época do Natal, é conhecido por El Niño, afetando o clima em escala mundial como acontece em 1983.

elipsóide de deformação - configuração geométrica do estado deformado de uma figura originalmente esférica pertencente a um corpo submetido a um campo de tensões. (1). I: Strain Ellipsoid.

elipsóide de tensões - representação geométrica, através de três vetores mutuamente perpendiculares (s1, s2, s3), da direção das tensões em um determinado ponto. (1). I: Stress Ellipsoid.

eluviação - transporte do material dissolvido ou em suspensão através do solo pelo movimento da água quando a precipitação pluvial
excede à evaporação.

eluvião - depósito detrítico ou simples capa de detritos, resultantes da desintegração da rocha matriz, permanecendo no local de
formação. Sin.: solo residual (2).

embaiada - Apresentando reentrância na linha costeira formando uma baía muito aberta.

embaiamento - (1) Indentação da linha costeira formando uma baía aberta. (2) Formação de uma baía.

embasamento - complexo indiferenciado de quaisquer tipos de rochas que compõem o substrato de um determinado pacote rochoso de interesse em uma área (1). Termo empregado para designar rochas mais antigas, geralmente mais metamorfisadas e de estruturação
tectônica diferente, que servem de base a um complexo rochoso metamórfico ou sedimentar. Sin.: Embasamento cristalino. I:
Basement.

emersão - Indica que uma área anteriormente inundada passou a condições subaéreas, fato que pode ocorrer tanto pela descida do nível do mar, como pelo levantamento do continente. Veja também regressão.

endêmico - Nome que se dá a organismos ou grupo de organismos restritos a uma região ou a um ambiente. Sinônimos: indígeno e nativo.

en échelon (F) -  padrão de arranjo de elementos geológicos pelo qual eles distribuem-se paralelos uns aos outros, de forma escalonada,
dispondo-se cada um obliqüamente em relação à faixa em que está inserido. Característico de regiões submetidas à atuação de
binários de cisalhamento (1).

enchente - fenômeno episódico de extravasamento das águas de um rio ou lago, em períodos de cheia, que pode atingir tanto a planície de
inundação como as áreas de encosta marginais. Ocorrem por combinação dos fatores: aumento brusco do volume de água a ser
escoada; desmatamentos indiscriminados das margens e cabeceiras; erosão e assoreamento dos canais; ocupação desordenada
da planície de inundação; impermeabilização dos terrenos por construções; represamento das águas por galerias, pontes e obras
construídas sem critérios técnicos adequados, etc. É um fenômeno de risco geológico urbano que causa maior prejuízo material
nas cidades.

encurtamento - fenômeno de diminuição de um determinado comprimento horizontal como resultado da aplicação de esforços compressionais (1). I: Shortening.

endógeno - termo aplicado à rocha magmática, intrusiva ou efusiva, originada no interior da Terra. Também a processos com sede no
interior da Terra.

energia deposicional - Energia cinética devido a ondas e correntes, presente no ambiente de deposição dos sedimentos. A alta energia possibilita a eliminação de frações pelíticas, que irão depositar-se em ambientes de baixa energia, favorecendo simultaneamente a produção de boa seleção granulométrica na fração arenosa.

energia de maré - Em regiões costeiras de profundidades inferiores a 100m, grande parte da energia de maré é dissipada por atrito, e desta maneira, a energia de maré é máxima em mar aberto. Esta energia pode ser utilizada na produção de energia elétrica através das usinas elétricas de maré. Entre alguns locais adequados para estas finalidades, por exibirem amplitudes de maré excepcionalmente altas, tem-se a Baía de Fundy (Canadá) e Babo Três Puntas (Argentina). Amplitude de maré de no mínimo 9 a 10 m são consideradas necessárias para se pensar no aproveitamento da energia de maré, que pode vir a transformar-se em importante fonte alternativa de energia elétrica, mormente nos países onde outras formas de energia são escassas. Na Baía de Fundy, a amplitude de maré chega a mais de 15m. Atualmente, Canadá e França já operam este tipo de usinas elétricas.

energia de onda - É expressa pela capacidade de trabalho da onda. A energia de um sistema de ondas é teoricamente proporcional ao quadrado da altura da onda, que é um parâmetro de obtenção relativamente fácil. Deste modo, uma costa de alta energia de onda caracteriza-se por alturas de arrebentação superiores a 50 cm e uma costa de baixa energia apresenta alturas inferiores a 10 cm. A maior parte da energia de onda de uma região costeira é consumida no atrito com o fundo e na movimentação da areia.

energia potencial - Em uma onda oscilatória progressiva, corresponde à energia resultante da elevação ou depressão da superfície aquosa acima do nível sem perturbação.

engenharia costeira - Ramo da engenharia civil dedicado às obras de construção de portos, quebra-mares, aterros costeiros, etc. Embora as atividades de alguma forma de engenharia costeira remontem a épocas muito antigas, o termo foi utilizado pela primeira vez somente em 1950 (Johnson, 1951). Esta atividade relaciona-se à aplicação prática dos diversos conhecimentos científicos adquiridos em águas costeiras em benefício da humanidade. A maior parte das estruturas de engenharia costeira está relacionada à proteção da zona costeira contra os processos de erosão e sedimentação acelerados. Desta maneira, tem-se os muros marinhos, revestimentos, espigões, etc. Além de proteção da zona costeira, tem-se diversos problemas ligados à estabilização da linha praial, estabilização de braço de maré e proteção de porto.

enrocamento - Massas de grandes blocos de rochas colocadas na água para formar a base de um atracadouro.

enseada - Setor côncavo do litoral, delineando uma baía muito aberta, em forma de meia-lua. A enseada desenvolve-se freqüentemente entre dois promontórios e penetra muito pouco na costa. Pode-se denominá-la também de baía aberta.

envelope de Mohr - vide Círculo de Mohr Epirogênese - diastrofismo de caráter vertical que produz feições amplas, afetando grandes porções dos continentes e oceanos (1). I: Epeirogeny.

epicentro - Ponto sobre a superfície terrestre diretamente acima do foco de um terremoto.

epicontinental - Situado sobre um platô ou plataforma continental como o mar epicontinental.

epilímnio - Porção de um corpo aquoso lacustre saturada de oxigênio, bem iluminada e com temperatura essencialmente uniforme, representada pela camada de água lacustre situada acima da termoclima. Nesta camada, de espessura variável entre 5 a 15 m segundo as condições circunjacentes do lago, processa-se intensa produtividade primária. Termo oceanográfico equivalente é camada mista.

epirogênico - Relativa à movimentação vertical lenta devida ao arqueamento das massas continentais, as quais sobem (movimento positivo) ou descem (movimento negativo) em relação ao nível médio do mar, supostamente fixo. Veja também tipos de tectônica.

epigenético - processo geológico originado na superfície ou próximo da superfície da Terra. Depósito mineral formado posteriormente à rocha encaixante.

epirogênese - movimentos de soerguimento e subsidência em grande escala, geralmente verticais e lentos, variáveis no tempo, afetando
grandes partes ou a totalidade de áreas continentais ou de bacias oceânicas.

episódico, evento - diz-se do caráter pontuado de ocorrência dos eventos de natureza sedimentar e/ou tectônica, responsáveis, segundo alguns autores, pela maior parte do registro geológico. Genericamente, refere-se a eventos raros de magnitude anormalmente alta ou
baixa (1). I: Episodic Event.

epitermal - depósito ligado à erupção magmática e formado por águas quentes que ascendem a pequena profundidade, sob condições de
temperatura e pressão moderadas. Ex: depósitos de ouro, prata, etc..

equador magnético - Veja linha aclínica.

erosão - desgaste do solo ocasionado por diversos fatores, tais como: água corrente, geleiras, ventos, ondas e vagas. No sentido lato é o
efeito combinado de todos os processos degradacionais terrestres, incluindo intemperismo, transporte, ação mecânica e química
da água corrente, vento, gelo, etc; Distinguem-se conforme o caso em: erosão eólica, erosão fluvial, erosão glacial, erosão
marinha, etc.

erosão, agentes - conjunto de fatores físicos, químicos ou biológicos, naturais, responsáveis pelo modelado do relevo terrestre, na maioria
diretamente ligados ao clima (chuvas, rios, água subterrânea, correntes marinhas, ondas, geleiras, ventos). Pode ser acelerada
artificialmente pelo homem, por desmatamentos, cortes de estradas ou outras modificações no manto de intemperismo em
geral.

erosão costeira - A erosão costeira é um processo, em geral natural, que pode atuar tanto em costa rasa (com praias) como escarpada (com falésias). Desta maneira a erosão praial e erosão de falésia correspondem a casos particulares de erosão costeira.

erosão diferencial - Remoção seletiva de materiais rochosos, por exemplo de zonas costeiras por atuação de ondas, de acordo com maior ou menor susceptibilidade dos materiais aos agentes naturais. Em alguns trechos da costa brasileira, onde as estruturas de rochas pré-cambrianas são transversais à praia, este fenômeno pode favorecer o afeiçoamento irregular da linha costeira.

erosão eólica - processo que consiste na desagregação e remoção de fragmentos e partículas de solo e rocha pela ação combinada do vento e da gravidade.

erosão interna - movimento de partículas de uma massa de solo carreadas por percolação d’água, sendo que o fenômeno é iniciado sob
condições de gradiente hidráulico crítico e provoca a abertura progressiva de canais dentro da massa de solo em sentido
contrário ao do fluxo d’água. O mesmo que entubamento. Sin.: erosão regressiva, entubamento, “piping”.

erosão laminar - ação do escoamento superficial de águas pluviais ou servidas, na forma de filetes de água, que lavam a superfície do terreno como um todo, com força suficiente para arrastar as partículas desagregadas do solo. Ocorre principalmente em vertentes pouco
inclinadas com solo desprotegido da vegetação (“terras desnudas”).

erosão pela água - processo que consiste na desagregação e remoção de solo, fragmentos e partículas de rochas, pela ação combinada da gravidade e da água precipitada e de escoamento. Manifesta-se na forma de erosão laminar, sulcos, ravinas, boçorocas, “piping”
(erosão interna).

erosão regressiva - mesmo que erosão interna

erosão subterrânea - ação erosiva da água subterrânea através de processos físicos e químicos. Os efeitos maiores ocorrem pela dissolução de rochas calcárias ou com cimento solúvel. Sua ação origina a formação de cavernas, grutas, dolinas, etc.

erupção - ascensão de material magmático muitas vezes sucedida de derramamento. Atingindo a superfície terrestre, denomina-se
erupção supercrustal ou extrusão. Ficando o magma aprisionado na crosta, chama-se erupção intracrustal ou intrusão (2).
Ejeção de matéria vulcânica (lavas, piroclastos e gases vulcânicos) para a superfície, seja de uma abertura central, de uma
fissura ou de um grupo de fissuras. I: Eruption.

erupção efusiva - erupção vulcânica com derramamento de lava.

erupção explosiva - erupção vulcânica expelindo fragmentos para o ar chegando a centenas de quilômetros de distância.

erupção freática - erupção ou explosão vulcânica de vapor, lama ou outra matéria não incandescente; esta forma de erupção é causada pelo aquecimento e expansão consequente de água do solo devida à fonte de calor ígneo adjacente.

escala granulométrica - Escala para classificação de sedimentos clásticos (ou detríticos). Entre as várias escalas propostas para estudos sedimentológicos, no Brasil utiliza-se principalmente a de Wentworth (1922). Os principais limites de classes desta escala são matacão (> 256 mm), calhau (256-64 mm), seixo (64-4 mm), grânulo (4-2 mm), areia (2-0,062 mm), silte (0,062 - 0,004 mm) e argila (< 0,004 mm).

escala de Richter - Escala de medida de magnitude de um terremoto, proposta por um sismologista americano chamado Francis Richter (1900).

escarpa - face ou talude íngreme abruptamente cortando a morfologia, freqüentemente apresentando afloramento de rochas.
Genericamente distinguem-se as escarpas tectônicas (produzidas por falhamentos) e escarpas de erosão (formada por agentes
erosivos). Linha de penhascos produzida por falhas ou erosão; uma encosta relativamente linear em penhasco, de extensão
considerável, que quebra a continuidade geral do terreno separando as superfícies situadas em níveis diferentes .

escarpa de cuesta - Encosta frontal da cuesta, na direção oposta do mergulho das camadas, e que se situa numa zona acima do qual a desnudação e a erosão removeram as camadas resistentes da cuesta. No sopé da escarpa desenvolve-se um depósito de tálus.

escarpa de falha - Escarpa cujo relevo está diretamente relacionado ao movimento ao longo de uma falha, embora a erosão possa ter atenuado a sua expressão primária pelo acúmulo de tálus.

escoamento de solo - corresponde à deformação, ou movimento contínuo, com ou sem superfície definida de movimentação. São classificados, segundo as características do movimento, em: corrida (escoamento fluído-viscoso) e rastejo ou reptação (escoamento plástico), termos mais utilizados, em detrimento do termo escoamentos.

escorregamento - consiste no movimento rápido de massas de solo ou rocha, geralmente bem definidas quanto ao seu volume, cujo centro de gravidade se desloca para baixo e para fora de um talude natural ou de escavação (corte ou aterro), ao longo de uma ou mais
superfícies de ruptura. Podem ser rotacionais ou translacionais. Diferencia-se do rastejo por apresentar geralmente superfície de
ruptura definida, mais profunda, e maior velocidade de deslocamento. (Vide deslizamento).

escudo - área de exposição de rochas do embasamento cristalino em regiões cratônicas, comumente com superfície convexa, cercada por
plataformas cobertas por seqüências sedimentares (1). Áreas pré-paleozóicas continentais, ao redor das quais se depositam
rochas sedimentares mais novas. Comportam-se como massas rígidas que não sofrem dobramentos orogenéticos posteriores.
Não são restos da primitiva crosta terrestre mas sim originados por processos orogenéticos antiqüíssimos. Existe
correspondência entre escudo e cráton continental (2). I: Shield.

esforço - em um corpo sólido, é a força por unidade de área que atua em determinada superfície dele. Está representado, em um ponto,
por nove componentes, três normais e seis cisalhantes, em relação à superfície referida. Sin.- Tensão (1). I: Stress.

espeleologia - setor da geologia física que trata das cavernas.

espelho de falha - plano ou superfície entre blocos de falha. Contém geralmente estrias e caneluras paralelas à direção do movimento relativo dos blocos, e ressaltos transversais perpendiculares ao mesmo. Sin: Espelho tectônico.

espigão - Estrutura artificial construída perpendicularmente a uma praia para evitar a ação destruidora das correntes paralelas à costa.

estabilidade de encosta ou talude - característica intrínseca de um solo ou talude, ou obtida por um conjunto de medidas adotadas para manter ou melhorar as suas características geotécnicas. É dado pela relação entre o ângulo de talude com a horizontal e o ângulo de atrito interno do material no estado solto ou desagregado.

estéril - refere-se a minérios com pouco ou nenhum mineral útil. Refere-se também aos minerais acompanhantes de minério, que não
tem aplicação econômica. Sin.: Ganga (2).

estilo estrutural - conceito sintetizado na geologia do petróleo por Harding e Ljowell (l979), refere-se à assembléia de elementos estruturais
presentes em uma determinada área, levando em conta seu arranjo espacial e sua gênese comum (associados a uma mesma
fase tectônica) (1). I: Structural Style.

estiramento crustal - diz-se da deformação experimentada pela crosta quando submetida a um campo de esforços distensional (1). I: Stretching.

estratificação - aspecto estrutural característico das rochas sedimentares, que consiste na sua disposição em estratos ou camadas, lâminas, lentes, cunhas. Origina-se de modificações periódicas ou não, na natureza ou na quantidade do material sedimentado. Tais
modificações dependem da variação de competência dos agentes de transporte, da provisão do material sedimentar, da
solubilidade do meio de transporte, etc. Sin.: Acamamento (2).

estratigrafia - Ramo da geologia que se ocupa do estudo da seqüência das camadas. Procura investigar as condições da sua formação e visa correlacionar os diferentes estratos, principalmente por meio do seu conteúdo fossilífero. Não ocorrendo fósseis adequados, usam-se os métodos petrográficos.

estrato - Unidade individual de rocha estratificada com 1 cm ou mais de espessura, e separada dos estratos imediatamente superior e inferior, por mudança discreta na litologia ou por quebra física de continuidade, camada, leito.

estria glacial - sulco ou arranhadura produzido numa superfície rochosa por material transportado por geleiras.
estrutura colunar estrutura comum em muitas rochas extrusivas e intrusivas, desenvolvida por contração durante o seu resfriamento, consistindo na formação de colunas prismáticas normais à superfície de resfriamento.

estrutura - Feição de ordem superior das massas rochosas, tais como dobramento, fraturas, falhas, etc. Para outros autores o termo estrutura tem sentido mais restrito, significando o comportamento da textura das rochas; por exemplo, xistosidade, estrutura fluidal, etc.

estrutura em flor - arranjo de falhas que apresentam os traços de seus planos curvos e convergentes em profundidade (vista em perfil).
Característica de zonas de falhas transcorrentes, transtensivas (flor negativa) ou transpressivas (flor positiva) (1). Var.:
Estrutura em Cactus. I: Flower Structure, Palm Tree Structure.

estrutura primária - estrutura de uma rocha sedimentar que é dependente das condições de deposição, especialmente as velocidades de correntes e a razão de sedimentação. Feições estruturais que são contemporâneas ao primeiro estágio da formação de uma rocha. Foliação ou bandeamento que se desenvolve numa rocha plutônica, enquanto procede a consolidação do magma.

estruturação de rocha ou solo - arranjo das partículas do solo ou dos minerais de uma rocha, em agregados, sob diferentes formas, tamanhos e grau de desenvolvimento. Resultam várias disposições ou configurações, cada qual com seu nome característico. Exemplos são
xistosidade, estrutura fluidal, estrutura unigranular de solo, etc.

estuário - tipo de desembocadura de um rio no mar, caracterizada por uma abertura larga, relativamente profunda. Ambiente desfavorável
à acumulação de sedimentos, em virtude da ação das correntes de maré e das correntes litorâneas. A instabilidade de
condições (salinidade) dificulta a vida dos organismos.

estudo geotécnico - tem por objetivo as investigações das propriedades geotécnicas dos terrenos, visando a definição das diferentes aptidões para a ocupação.

estudo hidrogeológico - procura definir as características dos potenciais hídricos, tanto superficiais como subterrâneos, com o intuito de orientar o melhor sistema de exploração destes recursos.

euédrico, mineral - mineral de contornos regulares, que apresenta suas faces totalmente desenvolvidas. Sin.: Euedral, Idiomórfico.

eupelágico - Depósito marinho originário do alto mar e sedimentado em isóbatas maiores de 1000 m.

eustasia - Variação do nível do mar motivada por causas diversas, independentes de movimentos tectônicos. Movimento eustático positivo é a ascenção do nível do mar motivada pelo aumento do volume total dos mares, devido ao degelo em grande escala ou ao acúmulo de sedimentos marinho. Movimento eustático negativo é o abaixamento do nível do mar provocado pela retenção de água sob forma de gelo continental, originando regressões.

euxínico - ambiente marinho ou quase marinho, extremamente pobre em oxigênio e rico em H2S, tornando impossível a vida orgânica mais evoluída. Um exemplo atual ocorre na parte mais profunda do Mar Negro. O sedimento proveniente deste ambiente é rico em matéria orgânica.

eutrófico - solo bastante fértil (alta saturação por bases).

evaporito - depósito salino cuja origem se relaciona à precipitação e cristalização direta a partir de soluções concentradas. Os evaporitos
principais são: gipsita, anidrita, halita, carnalita, silvita, e, às vezes, calcita e dolomita.

exógeno - fenômeno geológico provocado por agentes externos - energia do sol, águas pluviais ... formando-se assim um ciclo de
decomposição, denudação e sedimentação.

expansão - Teoria geotectônica, formulada por Dana, segundo a qual certas partes da crosta terrestre se expandiram por aquecimento interno. Nos últimos anos esta idéia foi reformulada, admitindo como fonte térmica a desintegração radioativa.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Z




Copyright 2007  Portal Geotrack® - Todos os direitos reservados
Responsável: Geól. Rodrigo Dantas Pinheiro
rodrigodanttas@click21.com  
 

 

O que é Geologia? O que é Geologia? Comunidades Empregos Opinião Google Earth Downloads Eventos Links Vídeos Dicionário Onde estudar? Geoturismo Artigos Wallpapers Concursos Nossa Equipe Anunciantes Contatos